domingo, 11 de outubro de 2015

Viva a Mãe de Deus e Nossa!

Nossa Senhora Aparecida, protegei a família brasileira diante do avanço revolucionário!



Segue abaixo a transcrição de um artigo escrito pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, publicado em sua coluna no jornal Folha de São Paulo, por ocasião do atentado contra a Imagem de Nossa Senhora Aparecida, em 1978.
Depois de tantos sinais de proteção ao povo brasileiro que se percebe ao ler a história da Imagem de Nossa Senhora Aparecida, nossa nação aceitou apática a aprovação do divórcio pelo Congresso em 1977.
Quase um ano depois, a imagem se partiu em um brutal atentando. Seria esse um sinal do desagrado de Nossa Senhora pela apatia do povo brasileiro a quem Ela tanto protegeu? Não nos resta dúvida.
Nossa nação hoje é assaltada no Congresso com leis que visam destruir ainda mais a família natural e o divórcio está no início dessa sinistra história da desagregação familiar. Ficaremos novamente apáticos diante dessas novas investidas?

***

Folha de S. Paulo, 29 de maio de 1978

A Imagem que se partiu
Plinio Corrêa de Oliveira

Em sua brutalidade, o fato é este: o Brasil, há mais de dois séculos, venera Nossa Senhora como sua especial padroeira. E essa veneração se dirige a Ela sob a invocação de Imaculada Conceição Aparecida.

Nossa Senhora Aparecida!

A exclamação acode freqüentemente ao espírito dos brasileiros. E sobretudo nas grandes ocasiões. Pode ser o brado de uma alma aflita que se dirige a Deus pela intercessão da Medianeira que nada recusa aos homens, e à qual Deus, por sua vez, nada recusa. Pode igualmente ser a exclamação de uma alma que não se contém de alegria, e extravasa seu agradecimento aos pés da Mãe, de quem nos vêm todos os benefícios.


A história da pequena imagem de terracota escura, com o seu grande manto azul sobre o qual resplandecem pedras preciosas, e cingindo à fronte a coroa de Rainha do Brasil – essa história encheria livros. Esses livros, se fossem concebidos como eu os imaginaria, deveriam conter não só os insignes fatos históricos que a Ela se prendem, mas também, em opimo apêndice, as legendas que a piedade popular a respeito deles teceu. É do amálgama de uma coisa e outra – história séria e incontestável, e legenda graciosa – que resulta a imagem global da Aparecida como ela existe no coração de todos os brasileiros.

– O escravo que rezava aos pés da Senhora concebida sem pecado original, ao mesmo tempo que dele se acercava o dono inclemente, as algemas que se rompem, o coração do amo que se comove etc.;

– o Príncipe Regente que saudava a imagem no decurso do trajeto que o levava do Rio a São Paulo, onde iria proclamar a independência e fazer-se imperador;

– o ato do novo monarca colocando oficialmente o Brasil sob a proteção da Virgem Imaculada Aparecida;

– a coroação da imagem com a riquíssima coroa de ouro cravejada de brilhantes, oferecida anos antes pela princesa Isabel, coroação feita em 8 de dezembro de 1904 pelos bispos da Província Meridional do Brasil e de outros pontos do País, em razão do decreto do Cabido da Basílica Vaticana, aprovado por São Pio X;

– o velho Venceslau Brás, ex-presidente da República, assistindo, piedoso, no jubileu de prata da coroação da imagem, a missa hieraticamente celebrada por D. Duarte Leopoldo e Silva, reluzente daquela como que majestade episcopal tão caracteristicamente dele;

– a solene proclamação do decreto do papa Pio XI, de 16 de julho de 1930, constituindo e declarando “a Beatíssima Virgem Maria, concebida sem mácula, sob o título de Aparecida, padroeira principal de todo o Brasil, diante de Deus”;

– a apoteótica manifestação do dia 31 de maio de 1931, em que o episcopado nacional, diante da milagrosa imagem levada triunfalmente ao Rio de Janeiro em trem-santuário, na presença das maiores autoridades civis e militares e em união com todo o povo – mais de um milhão de pessoas! Consagrou o país a Nossa Senhora da Conceição Aparecida
E assim por diante, sem falar das curas, aos milhares. Quantos milhares? Cegos, aleijados, paralíticos, leprosos, cardíacos, que sei eu mais! Multidões e multidões sem conta de devotos, vindas do Brasil inteiro, com as mães contando às criancinhas, ao voltarem para os lares, alguma narração piedosa sobre a Santa, inventada na hora ou ouvida da avó ou da bisavó. Bem entendido, narração enriquecida, de geração a geração, com mais pormenores maravilhosos. Quem conta um conto…
Tudo isso levava o Brasil inteiro a emocionar-se – e com quanta razão – ante a pequena imagem de terracota escura, vendo nela o sinal palpável da proteção de Nossa Senhora.
E o sinal se quebrou.
Por sua vez, essa quebra não será um sinal? Sinal de quê? (…) Amigos meus que conversaram há dias com altíssima personalidade eclesiástica dela ouviram que os sacrilégio teria relação com a aprovação do divórcio no Brasil.
A hipótese faz pensar. Talvez, entristecida a fundo pela promulgação do divórcio. Nossa Senhora, ao permitir o crime, tenha querido fazer ver ao povo brasileiro seu desagrado pelo fato. Seria bem isso? Sem dúvida, a introdução do divórcio foi um gravíssimo pecado coletivo cometido pela nação brasileira.
Mas há dois aspectos pelos quais a aprovação do divórcio pode ser relacionada com o crime sacrílego. De um lado, se o divórcio foi aprovado, é porque a resistência contra o mesmo foi insuficiente.
A Nação dormitava quando o sr. N. Carneiro era aclamado aos brados, pelo plenário do Congresso e por uma minoria que abarrotava as galerias, logo depois da aprovação da lei. Essa soneira em hora tão grave exprime, por sua vez, uma flagrante falta de zelo. Pois não nos basta não fazer uso da lei. Se não a queríamos, por que não a impedimos?
Por sua vez, ainda, como não reconhecer nesse censurável indiferentismo, não um estado de espírito de momento, mas uma atitude de alma resultante de efeitos ainda muito mais profundos? Quando a moralidade das modas decai assustadoramente, quando os costumes sociais se degradam a todo momento e a limitação da natalidade, praticada por meios condenados pela Igreja, vai ganhando proporções assustadoras, prepara-se o caldo de cultura para o comunismo.
Este, embuçado em criptocomunismos, eurocomunismos, socialismos e outros disfarces ideológicos, vai avançando. Como não reconhecer nisto um complexo de circunstâncias nas quais se insere, com toda a naturalidade o divórcio?


Fonte: http://www.pliniocorreadeoliveira.info/FSP%2078-05-29%20A%20Imagem.htm

sábado, 3 de outubro de 2015

Homenagem a Plínio Corrêa de Oliveira

HOMENAGEM A PLÍNIO CORRÊA DE OLIVEIRA
NO 20º ANIVERSÁRIO DE SEU FALECIMENTO

Delegação de correspondentes e simpatizantes da cidade de Itu prestigiou o magno evento.





No dia 03 de Outubro de 1995, Dr. Plínio, fundador da Sociedade Brasileira da Tradição Família Propriedade, árduo defensor da Santa Igreja Católica, mestre espiritual da Contra-Revolução, entregou sua alma ímpar nas mãos do Criador.
20 anos se passaram e sua obra, continuada pelos seus fiéis seguidores nos quatro cantos do mundo, continua a defender pujantemente a Civilização Cristã e a espalhar a Mensagem de Fátima .






Pela manhã do sábado, dia 03 de outubro, reuniram-se no Mosteiro de S. Bento, na capital paulista, membros e simpatizantes das diversas TFPs espalhados pelo mundo para prestar homenagem ao seu insigne fundador. A Missa Pontifical foi celebrado pelo Bispo Dom
Athanasius Schneider , do Cazaquistão, e em seguida saiu solene cortejo até o Pátio do Colégio, local da fundação de São Paulo, ao som das marchas tocadas pela fanfarra da TFP norte-americana, onde foi realizado um ato solene com discursos em homenagem a Dr. Plinio.



A Imagem Peregrina Internacional de Nossa Senhora de Fátima, que verteu lágrimas milagrosamente em Nova Orleans, participou dos eventos.




******



MANIFESTO AO PÚBLICO BRASILEIRO





Mais de uma vez, como tantos e tantos brasileiros, o leitor deve se ter perguntado se há saída para a crise atual em que estamos imersos, ou melhor, para esta série de crises que vemos se alastrar no Brasil, na Igreja, no mundo inteiro.
E a resposta é: Sim! A crise brasileira e a crise mundial têm solução!
As vias adequadas para se chegar a essa solução foram delineadas por um grande brasileiro, objeto das homenagens que, neste 3 de outubro de 2015, lhe tributam, comovidos e agradecidos, discípulos seus vindos à cidade de São Paulo, provenientes de todo orbe.


A missão providencial do Brasil

Em 1940, aos 31 anos de idade, Plinio Corrêa de Oliveira foi designado Presidente da Junta Arquidiocesana da Ação Católica de São Paulo.
A esse título coube-lhe fazer, no encerramento do IV Congresso Eucarístico Nacional de 1942, memorável saudação às Autoridades civis e militares do País, proferida diante de meio milhão de pessoas que lotavam o Vale do Anhangabaú e aclamavam entusiasticamente seu nome: Plinio, Plinio, Plinio…. Eis uma passagem de seu discurso, que dá bem ideia do futuro de grandeza cristã que ele vislumbrava para o Brasil:
“Dia virá, em que se escreverá ‘Gesta Dei per brasilienses’ [As proezas de Deus pelos brasileiros].A missão providencial do Brasil consiste em crescer dentro de suas próprias fronteiras, em desdobrar aqui os esplendores de uma civilização genuinamente Católica, Apostólica, Romana, e em iluminar amorosamente todo o mundo com o facho desta grande luz, que será verdadeiramente o ‘lumen Christi’ que a Igreja irradia. (…) Se algum dia o Brasil for grande, sê-lo-á para bem do mundo inteiro.”
Infelizmente, os rumos que tomou o País oficial não corresponderam a tal esperança; pelo contrário, têm nos levado para o terrível descaminho em que hoje vivemos, e que a muitos parece já sem saída.
Mas, distinto desse Brasil oficial, que é cada vez mais semelhante a uma colossal engrenagem de corrupção institucionalizada a serviço de utopias anticristãs, vemos também emergir — tal como previu Plinio Corrêa de Oliveira (*) — os gérmens de outro Brasil, autêntico, profundo, sadio.
(*) Ver “Projeto de Constituição Angustia o País”, Editora Vera Cruz, São Paulo, 1987.


Emerge o Brasil das famílias


É justamente o Brasil das famílias, o Brasil cordato, laborioso, ordeiro e pacífico, que emerge nessas manifestações — que se iniciaram em 2013 e tomaram vulto maior em 2015 — e se insurge coeso contra tal intento revolucionário.
Um Brasil cujas aspirações profundas de alma, se chegarem a se explicitar inteiramente e produzir seus frutos, tendem para a restauração da ordem moral, da harmonia social, do fortalecimento e da estabilidade das famílias, ou seja, para uma civilização autenticamente cristã, ainda que para isso seja necessário atravessar convulsões e sofrimentos como os previstos em 1917 por Nossa Senhora em Fátima.
Há 25 anos, um descontentamento semelhante ocorrera no mundo comunista, que culminou com o desabamento da ex-URSS. Plinio Corrêa de Oliveira qualificou-o como Descontentamento com ‘D’ maiúsculo, isto é, “um descontentamento para o qual convergem todos os descontentamentos regionais e nacionais, os econômicos e os culturais, por muitas décadas acumulados”“um descontentamento global contra o regime comunista, contra o capitalismo de Estado, contra o ateísmo despótico e policialesco, contra tudo, enfim, que resulta da ideologia marxista, e da respectiva aplicação a todos os países agora em convulsão” (*)
(*) Manifesto: Comunismo e anticomunismo na orla da última década deste milênio, revistaCatolicismo, março/1990.
Mutatis mutandis, como não perguntar, no generalizado clamor anti-esquerdista que hoje varre o País, se não viceja algo de análogo a um imenso Descontentamento, similar ao que pôs fim ao império comunista?



Mais de 60 anos de luta



Quanto terá pesado para este novo e alvissareiro rumo da opinião brasileira e mundial a atuação do fundador da TFP, ainda é cedo para se avaliar. O certo é que, historicamente — e reconhecido até por seus próprios adversários — a luta que ele moveu ao longo de mais de 60 anos para evitar que os católicos deslizassem para a esquerda no Brasil e no mundo, foi decisiva para atalhar esse itinerário.
A constante atuação de Plinio Corrêa de Oliveira para esclarecer a opinião pública sobre as manobras de que ela estava sendo vítima, é prolongada hoje pelo Instituto Plinio Corrêa de Oliveira (IPCO) e entidades co-irmãs de 27 países nos vários continentes, e seus frutos tornam-se manifestos.

Exemplo recente é a importante contribuição do IPCO para a constituição da imensa vaga de reações populares que cobre numerosos municípios de Brasil em defesa da família e da inocência das crianças, contra o intento de impor a perversa Ideologia de Gênero nas escolas. A mobilização popular tem sido impressionante!
Por sua vez, em âmbito mundial, a Filial Súplica ao Santo Padre já obteve mais de 810 mil assinaturas em 178 países — entre elas as de 8 Cardeais, 192 Arcebispos e Bispos — tendo em vista o próximo Sínodo Ordinário dos Bispos. Os signatários pedem ao Pontífice uma palavra esclarecedora que dissipe afinal a confusão reinante sobre temas referentes à família.

Novas ameaças e redobradas esperanças

Mas, em sentido contrário, em âmbito internacional surgem novas ameaças, como o terror espalhado pelo “Estado Islâmico”, as perspectivas de outra crise financeira global, a estranha invasão de multidões de migrantes na Europa, como também a ofensiva dentro da própria Igreja Católica para que sejam aceitas as uniões homossexuais e admitidos à Comunhão sacramental os casais em situação objetiva de pecado. São como nuvens negras que cobrem o horizonte religioso, político e sócio-cultural, acenando para perspectivas de caos.
Delineia-se, assim, um quadro internacional bivalente — trevas que se adensam de um lado, luzes que se acendem de outro — cujo desfecho parece encaminhar o mundo atual para uma polarização entre as aspirações sadias, ou ao menos de inércia, de parte de muitos, e os intentos insidiosos de certas cúpulas altas e médias, visando a estabelecer uma anti-ordem revolucionária, que gera situações de uma gravidade imprevisível.

Contudo, para além dos embates que essa polarização possa ocasionar, a certeza de um porvir de grandeza cristã para o Brasil e para o mundo, que inspirou toda a atuação de Plinio Corrêa de Oliveira, permanece viva e intacta como o Cruzeiro do Sul que ilumina nosso céu.
A despeito de tantos fatores adversos, a luta que ele desenvolveu — e à qual os seus discípulos dão prosseguimento — frutifica hoje na multiplicação de reações de vulto, que autorizam as maiores esperanças para a causa católica e da civilização cristã.
*     *     *
Esse é o sentido profundo da homenagem de gratidão e reconhecimento que hoje tributamos a esse insigne líder e pensador católico, honra e glória do Brasil, com justiça denominado o Cruzado do Século XX.
Seu exemplo de fidelidade e dedicação à Igreja e à causa da civilização cristã ilumina o caminho de todos os que, como ele, confiantes no triunfo final do Coração Imaculado de Maria, conforme Nossa Senhora prometeu em Fátima, empenham-se vigorosamente em colaborar com todas as suas forças para, o quanto antes, tornar realidade essa certeza.
Esse exemplo é também um convite a todos os Descontentes com “D” maiúsculo, que se multiplicam por este imenso Brasil e pelo mundo, para se associarem à grande gesta de restauração da civilização cristã que Plinio Corrêa de Oliveira impulsionou.


As TFPs e entidades co-irmãs de 27 países dos 5 Continentes
que homenageiam Plinio Corrêa de Oliveira


Brasil
·         Instituto Plinio Corrêa de Oliveira
África do Sul
·         Young South Africans for a Christian Civilization – TFP
·         Family Action South Africa
Alemanha
·         Deutsche Gesellschaft zum Schutz von Tradition, Familie und Privateigentum e.V. – TFP
·         Deutsche Vereinigung für eine Christliche Kultur (DVCK) e.V.
Argentina
·          Sociedad Civil Fatima la Grand Esperanza
Austrália
·         Australian TFP Inc.
Áustria
·         Österreichische Gesellschaft zum Schutz von Tradition, Familie und Privateigentum – TFP
Bélgica
·         Fédération Pro Europa Christiana
Canadá
·         Canadian Society for the Defence of Christian Civilization
Chile
·         Acción Familia por un Chile autentico, cristiano y fuerte
Colômbia
·         Sociedad Colombiana Tradición y Acción
·         Centro Cultural Cruzada
Espanha
·         Tradición y Acción
Estônia
·         SA Perekonna ja Traditsiooni Kaitseks 
EUA
·         American Society for the Defense of Tradition, Family, and Property – TFP
·         Tradition, Family, Property, Inc.
·         Tradition, Family, Property – Louisiana, Inc.
Filipinas
·         Philippine Crusade for the Defense of Christian Civilization
França
·         Société française pour la défense de la Tradition, Famille, Propriété – TFP
·         Fédération Pro Europa Christiana
·         Avenir de la Culture
·         Droit de Naître
Holanda
·         Stichting Civitas Christiana
Hungria
·         Magyar Alapítvány a Keresztény Civilizációért 
Irlanda
·         Irish Society for Christian Civilisation
Itália
·         Associazione Tradizione Famiglia Proprietà – TFP
·         Associazione Luci sull’Est 
Lituânia
·         Krikščioniškosios Kultūros Gynimo Asociacija
Paraguai
·         Sociedad Paraguaya de Defensa de la Tradición, Familia y Propriedad – TFP
Peru
·         Tradición y Acción por un Perú Mayor
Polônia
·         Stowarzyszenie Kultury Chrześcijańskiej im. Księdza Piotra Skargi
·         Fundacja Instytut im. Piotra Skargi
Portugal
·         Instituto Santo Condestável
Reino Unido
·         Tradition, Family, Property – TFP
Uruguai
·         Tradición y Acción por un Uruguay Auténtico, Cristiano y Fuerte

Venezuela
·         Associación Civil Resistencia (no exílio)